sexta-feira, 19 de outubro de 2007

Sê aquilo que és


Ontem conversava com um Amigo (Junior) sobre as pessoas, os outros, a vida, o ser o não ser, mostrar o que somos ou o que não somos…. Enfim coisas com as quais lidamos todos os dias, assim hoje não pude deixar em branco aquilo que penso.

Adoro a simplicidade a sinceridade, por isso SOU SIMPLES,
Devemos mostrar aquilo que na realidade somos
Mas
Se essa simplicidade não for o suficiente para alguém
Então acreditem que esse alguém não é suficiente para nós

8 comentários:

Márcio disse...

Olá Amiga Sénior! :D
Na vida existe sempre um "mas..." que atrapalha tudo, ou talvez apenas nos alerte para as situações que quase nunca são assim tão simples ou lineares.
Eu completaria o teu “sou…”, e se tivesse que te caracterizar numa palavra neste momento, sem pensar duas vezes: pura!
A verdade é que tal como falas, nem todas as pessoas gostam das pessoas sinceras, simples, naturais... e afastam-se delas... com medo, receio que lhes tiremos alguma coisa. De tal forma que, essas pessoas que no fundo não têm nada, mas pensam que têm muito!

Calimera disse...

Ai que coisa....
Deixas-me sempre sem jeito....
Mas sou mesmo assim e prezo para que os outros também assim sejam.

Calimera disse...

Ahhh
Esqueci-me de referir é que o fim da linha da vida acaba de igual forma para todos.
Beijinho

Rui Caetano disse...

A simplicidade é o bem mais precioso que poderemos cultivar. Ser simples é sermos nós próprios.

Margarida disse...

sabes que mesmo quando desapreço assim uns diazitos continuo a fazr as minhas visitas... e nem sempre deixo comentários mas todos os dias te visito!
Beijinhos

Umabel disse...

O verdadeiro, o bom, o inigualável é simples e é sempre idêntico a si mesmo, seja qual for a forma sob a qual ocorre. Pelo contrário, o erro, sobre o qual sempre recairá a censura, é de uma extrema diversidade, diferente em si mesmo, em luta não apenas contra o verdadeiro e bom mas também consigo mesmo, sempre em contradição consigo próprio. É por isso que em todas as literaturas as expressões de censura hão-de ser sempre muito mais que as palavras destinadas aos louvores.

Johann Wolfgang von Goethe, in 'Máximas e Reflexões'

Refúgios disse...

Acho que estamos em sintonia! Coincidência ao não, acabei de escrever um poste sobre como adoro viver na simplicidade! Estou completamente de acordo! ;) Porquê complicar se as coisas simples são tão boas? Bjinhos

menina das sardas disse...

concordo a 100%!